Custo de Reposição x Custo de Aquisição

Custo-reposicao-e-custo-de-aquisicao

Dois dos tipos de custos que são tratados normalmente em sistemas ERP e que são muito importantes para questões principalmente de análise de rentabilidade e formação de preço de venda são o custo de reposição e o custo de aquisição. 


O custo de aquisição é o último custo tido ao adquirir a matéria-prima. Ao encontrar a última nota, com entrada do material, são abatidos créditos de impostos que a empresa tem ou adicionados em alguns casos, e então o valor é congelado. Geralmente, há uma certa inflação. Por isso, o último preço costuma ser o mais alto e mais atualizado. Porém, nem sempre o custo de aquisição é 100% correto. 


Há o Princípio de Pareto, ou regra 80/20, que afirma que aproximadamente 20% do esforço dedicado ao trabalho é responsável por 80% do desempenho, 20% dos produtos comercializados retornam em 80% do faturamento e 20% dos colaboradores garantem 80% dos resultados. A regra 80/20 é vista com frequência. Normalmente, há os materiais que representam um custo maior para a empresa. Eles merecem ter uma análise de custo bem próxima, para que os números não sejam distorcidos.


O custo de reposição é o valor que seria pago se você fosse repor o produto ou mercadoria atualmente. Nesse caso, o custo de reposição deve ser tratado de forma manual pelo gestor responsável pela área de custos. É importante que o gestor faça uma análise principalmente destes 20% de itens mais essenciais e que incidem mais sobre o custo final do produto e faça uma atualização para o custo de reposição.


Os sistemas costumam oferecer facilitadores. É possível importar do Excel, por exemplo, o custo de reposição atualizado. Quando o fornecedor manda uma lista nova, basta importar a lista para o sistema, no Excel, com os valores atualizados, fazendo com que a formação de preço de venda e análise de rentabilidade sejam mais corretas, já que o custo médio também pode ser distorcido. Após rodar o custo de aquisição, a empresa deve atualizar o sistema, conferir e verificar se o agrupamento teve modificação.


Dessa forma, quando o custo do produto for rodado para fazer análise de rentabilidade e formação do preço de venda, a empresa terá um preço muito mais condizente com a realidade. Caso contrário, a empresa pode observar que o lucro está baixo no demonstrativo de resultados e descobrirá que, muitas vezes, a gestão do custo que não estava sendo feita adequadamente. 

Methos Podcast

Conheça o Podcast criado por Especialistas Consagrados em Manufatura e Gestão para Organizar sua Indústria!

Cadastre-se para receber novidades!

Sobre a Methos

Formada em 1992, a Methos funde conceitos com necessidades reais e forma soluções prazerosas de utilizar e que contribuem para a organização da sua empresa.
Conheça o C2
Todos os direitos reservados  © 2020 Methos - Software de Gestão ERP na Nuvem para Indústrias.
Clique aqui para verificar nossa política de privacidade

Conecte-se com a Gente!